Marco Antonio Chimento, qual é sua formação?
Sou Psicólogo clínico, pós graduado em Psicossomática e Psicoterapia de Casal e Família; com Especialização em Terapia Corporal e Sexualidade Humana; leciono em algumas Universidades para a Terceira Idade, idealizador e diretor do Grupo Reflexão.

Como nasceu o grupo e o nome GRUPO REFLEXÃO?
Desde 1996 leciono em Universidades para a “terceira idade”, geralmente, nestes espaços a carga horária de aulas é limitada, e por este motivo muitas pessoas pediram a continuidade do trabalho. Como nos locais das faculdades seria impossível tive que arrumar um outro espaço. E foi a partir daí que se formou o primeiro grupo na casa de uma aluna.

O grupo crescia cada vez mais e então, fui “obrigado” a procurar outros locais para as aulas, além do meu consultório. Aos poucos o grupo foi amadurecendo e percebendo importantes mudanças físicas, mentais e psicológicas.
Com os resultados destes trabalhos, que irei mencionar abaixo, éramos convidados para apresenta-los em vários eventos, universidades, teatros e congressos.

Com tantos convites que recebíamos, tivemos que pensar em um nome para o grupo. E aconteceu que em 1998, após a apresentação no teatro em São José dos Campos – SP com o trabalho “Ciranda da Vida”, que diz respeito a uma profunda reflexão do ser humano, nasceu então o nome “GRUPO REFLEXÃO”, que hoje fez história e completou nove anos de vida.

Quais são seus métodos de trabalho?
Eu divido em três partes: Reeducação corporal – Experiência do corpo como caminho para a cura – Integração do ser humano com a natureza.
Na primeira parte, Reeducação corporal, tem como proposta recuperar a essência dos gestos humanos por meio dos movimentos, provocando mudanças de comportamento. Para manter o corpo em forma é preciso movimentá-lo, caso contrário pode acelerar o processo de envelhecimento e promover doenças.
Na segunda parte, Experiência do corpo como caminho para a cura, “aquilo que te fere é o que te cura”, propõe um mergulho nos processos psicossomáticos para o entendimento maior do corpo. A cura só é possível na medida em que nos conscientizarmos dos aspectos ocultos de nós mesmos, que formam a nossa sombra, e na medida em que os integrarmos. Assim que descobrimos o que nos faz falta, o sintoma torna-se supérfluo. Consciente ou inconscientemente criamos nossas experiências. Uma observação: uso a palavra experiência em substituição à palavra “doença”.

Na terceira parte, Integração do ser humano com a natureza, Viagens & Aventuras divido este departamento com a Psicóloga Nair Kaminski, onde temos como principal objetivo, levar o ser humano a entrar em contato com novas experiências sensoriais, através de workshops, cursos e palestras. Alguns exemplos deste trabalho: entrar em uma gruta; caminhadas com obstáculos; banhos em cachoeiras; flutuação; corredeiras; contato com a vida animal; trilhas, entre outras coisas, todas essas experiências – trabalhando com o simbólico, criam possibilidades de novas descobertas.

Como são suas aulas?
Procuro fazer uma entrevista com o aluno, saber um pouco de sua história de vida, ou seja, uma anamnese psicossomática. Nas aulas passo noções de anatomia, exercícios de sensibilização e conscientização corporal.
As informações são dadas no decorrer de cada encontro de uma maneira muito agradável. Um exemplo: em uma manhã inicio com a coordenação motora, passo informações sobre a estrutura óssea, sobre as articulações e tudo que for possível afim de, levar ao cérebro novos registros. Além de tomar gosto por determinado exercício físico, o aluno passa a aprimorar seus hábitos diários e, consequentemente criar para si uma rotina mais saudável e confortável do ponto de vista motor e psicológico. As danças, as coreografias, o teatro, as brincadeiras, os jogos, as dinâmicas de grupo, fazem parte de minha metodologia de trabalho.

O seu trabalho é terapêutico?
Com toda a certeza. Vou exemplificar:
A grande maioria que se encontra neste Ciclo de Vida sofre nas articulações. Eu considero um dos maiores problemas da humanidade.
As articulações permitem a ação, o movimento, o trabalho; a articulação é um dos símbolos da comunicação, o caminho através do qual a vida se manifesta e passa.. No entanto, as pessoas que se encontram nesta experiência de vida precisam entrar em contato com sua sombra, ou seja, aquilo que te fere é o que te cura.
A doença humana manifesta-se através dos sintomas. Sintomas, portanto, são partes da sombra da nossa consciência que se precipitaram em forma física. O sintoma é uma possibilidade de evolução. O ser humano é perfeito quando enfim descobre seu verdadeiro self e se torna uno com tudo o que existe. Temos que pensar no todo para agir no local, a doença nos leva para alguma coisa. A doença obriga o ser humano a permanecer na trilha rumo à unidade, e por isso a doença é um caminho para a perfeição. Temos que alcançar a cura e o objetivo da cura é a unicidade e a totalidade.

Há quanto tempo você trabalha com a terceira idade?
Em primeiro lugar, eu não utilizo o termo “terceira idade”, nem melhor idade, ou qualquer uma dessas barbaridades ou vulgaridades. Aprendi que cada ser humano se encontra em um determinado Ciclo de Vida. Adotei essa nomenclatura, Ciclo de Vida.
Com o Grupo Reflexão são nove anos, mas a minha experiência neste Ciclo de Vida é desde 1988.

Como você vê o corpo humano?
Nos dias de hoje, o corpo humano é explorado como fonte de riqueza. Ganhou espaço na retórica dos direitos humanos, da anomia social (ausência de normas, leis) e de um discurso político elaborado e racional, que terminou por emudecer o falar simbólico corporal numa cacofonia feita de cosmética, sexo, saúde, academias de ginástica, propaganda e sedimentação semântica (estudo das mudanças sofridas).
Considero o corpo humano um Templo Sagrado, feito á imagem e semelhança de Deus, o corpo humano é postulado desde o princípio do texto bíblico como um território do sagrado, inclusive está em (Gênesis 1,26). Nosso corpo não se limita apenas num monte de órgãos, vísceras, fluídos e funções. Todas as partes do corpo humano são hipostasiadas (depósito ou sedimento em matéria orgânica), e adotadas de atributos psíquicos e espirituais. Cada parte do corpo humano leva em si mesma uma consciência do verdadeiro Eu e de sua unidade. Faço uma advertência no sentido de que devemos ser o próprio síndico, cuidador do corpo.

Você já escreveu algo a respeito?
Sim. O título do meu trabalho apresentado na conclusão do curso de Psicossomática foi: “O Universo do Seu Corpo – Em Busca do Tesouro Esquecido, A Alma”.

Marco o que você tem para nos dizer destes noves anos de GRUPO REFLEXÃO?
Realizamos em junho um grande evento. Mostramos nossas trajetórias contadas através de Fatos & Fotos do período de 1996 à 2004. Registros dos inúmeros trabalhos realizados e consagrados também foram apresentados.
Com muito orgulho levamos em Congressos de Geriatria e Gerontologia e considerado por um diretor do Congresso um dos melhores trabalhos apresentados. Como se não bastassem, percorremos um pouco em nosso Brasil, nos eventos para a terceira idade, afim de levar as pessoas o que é de fato trabalho com este Ciclo de Vida: Águas de São Pedro – SP; São José dos Campos – SP; diversas Universidades para à terceira idade; Piracicaba – SP; Caldas Novas – GO diversas vezes; Santos – SP; Campo Grande – MS; Presidente Prudente – SP; Teatro Dias Gomes – SP; Teatro Ilha do Sul – SP; Memorial da América Latina – SP; Olímpia – SP; Campinas – SP; Osasco – SP; e também em diversas instituições.
Confirmo que foram nove anos de trocas, de experiências, de crescimentos, de buscas. Cada ser humano tem uma finalidade existencial.
O que tenho a dizer mais, obrigado, obrigado e obrigado GRUPO REFLEXÃO.

Como você poderia finalizar esta entrevista, e qual a mensagem que nos daria?
Lembrando que nas últimas décadas, as ciências avançaram muito em sua luta contra a morte. Não há dúvida de que ganhamos com isso, mas, deixaram o homem sem informação sobre os mecanismos geradores da “doença”. Prenderam-se quase exclusivamente à pesquisa e esqueceram a construção de uma linguagem com a qual o indivíduo pudesse estimular seus mecanismos de defesa e cura. “Se preocupam com a doença e não com o doente”.
Bem eu não sou bom em dar receitas, mas acho que todos nós buscamos um sentido pra vida, e é claro que toda a busca é pessoal, porém acredito que algumas pessoas compartilham da minha busca: a paz, a felicidade, e a transcendência que é o sentido maior da vida.
Cuide do Seu Templo Sagrado.

Obs: A articulação é um dos símbolos da comunicação, comunique-se conosco, tire suas dúvidas, venha nos visitar.

Contato:
Marco Antonio Chimento
Rua Jardim Ivone, 17 sala 23 – Vila Mariana – CEP: 04105-020 - SP
FONE: 5539-4739 – 5061-6351 - 5083-8183
E-mail: psiecologia@uol.com.br

Dias e horários das aulas:

  • Terça – das 9:30 às 11:30 hs – Nair Kaminski – Rua Jardim Ivone, 17 sala 23 – Metrô Ana Rosa
  • Terça – das 13:30 às 15:30 hs – Marco – Rua Jardim Ivone, 17 sala 23 – Metrô Ana Rosa
  • Terça – das 17:30 às 19:30 hs – Marco – Av. Pe. Pereira de Andrade, 545 – Cond. Ilha do Sul
  • Quarta – das 10:00 às 12:00 hs – Marco – Rua Ministro Godoy, 1020 – Perdizes
  • Quinta – das 9:00 às 11:00 hs – Marco – Rua Madre de Deus, 920 – Mooca
  • Quinta – das 15:30 às 17:00 hs – Marco – Av. Pe. Pereira de Andrade, 545 – Cond. Ilha do Sul
  • Quinta – das 17:30 às 19:30 hs – Marco – Av. Pe. Pereira de Andrade, 545 – Cond. Ilha do Sul
  • Sexta – das 9:00 às 11:00 hs – Rua Jardim Ivone, 17 sala 23 – Metrô Ana Rosa
  • Sexta – das 15:00 às 17:00 hs – Marco – Rua Jardim Ivone, 17 sala 23 – Metrô Ana Rosa