Psicanálise e Neurociência

Freud começou sua vida profissional como neurologista. Fez  pesquisas neuroanatomicas, e escreveu três monografias sobre paralisia cerebral infantil. No inicio de sua carreira, atendeu pacientes, como neurologista.

No tempo de Freud, a neurologia ainda era uma disciplina relativamente nova e tinha incorporado da medicina interna o método anátomo-clínico, que consistia nos levantamentos dos sinais e sintomas clínicos, trabalhando neste método, Freud se deu conta de suas limitações.

Nesta época, os neurologistas estavam às voltas com algumas doenças como histeria, neurastenias, por exemplo, paralisias de membros – os patologistas nada encontravam nas autópsias para justificá-las. A escola francesa, tendo Charcot como figura central, atraiu a atenção de Freud, que foi fazer um estágio com ele, em1885-86, para tomar contato com o que também era método anátomo-clínico, mas que privilegiava os sinais e sintomas, obtidos na observação meticulosa. Esta postura de Charcot teve uma influência marcante em Freud, que passou a praticar essa modalidade de método clínico quando retornou a Viena, Freud interessou-se pelos pacientes histéricos e tentou trabalhar com a histeria fora da teoria neurológica, Charcot utilizava também a hipnose com o intuito de facilitar a lembrança de eventos perturbadores aparentemente esquecidos,  método este seguido por Freud, mas suas considerações teóricas bem  como a dificuldade que encontrou para hipnotizar alguns de seus pacientes, e ainda como concluiu que a hipnose levava a curas temporárias, descartou a hipnose em favor da associação livre.

Desviou sua atenção para uma aproximação puramente psicológica tanto  na teoria quanto na prática, e  criou a psicanálise. Para compreender a proposta metodológica da neuro-psicanálise é interessante esclarecer as razões pelas quais Freud, sendo neurologista, criou a psicanálise que, em essência, é um método psicológico para dar significados aos processos mentais sem, no entanto, perder o vínculo com a neurologia, e sem perder a esperança de que um dia a psicanálise voltaria a se unir à neurologia, quando esta tivesse alcançado um grau de desenvolvimento e oferecesse conhecimentos que faltavam naquela época. Entretanto continuou a acreditar que as neuroses estariam explicadas em termos biológicos

Atualmente, sabe-se do progresso da neurociência, mas será que esta   investigação científica é capaz de definir a natureza da mente? Se abrirmos um cérebro veremos  células nervosas, mas será que veremos um sentimento, uma idéia,  uma emoção?. Portanto, em se tratando de mente é importante analisar tanto teorias psicológicas como teorias neurofisiológicas para descobrir as diferenças compatíveis e incompatíveis no intuito de descrever uma estrutura do funcionamento mental.

As relações entre a Neurociência e a Psicanálise são bastante complexas, necessitando de um estudo detalhado da metodologia e das teorias que se pretende articular.

Veja todos os artigos de

Outros artigos

A máquina mais poderosa

Uma quantidade considerável de estudos científicos sobre o cérebro humano estão desvendando os “poderes” desse órgão. A máquina mais complexa que existe é o cérebro. Já é possível entender como...

A Cefaléia

A cefaléia, nome científico da dor de cabeça é uma das queixas mais freqüentes na população, estimando-se que 85% da população, já sofreu algum dia de dor de cabeça. As...

Por que corrigir a coluna?

A coluna vertebral sustenta o corpo, controla as funções de todos os órgãos internos, protege e distribui as veias e os nervos, funcionando como corredor de energias e fortalecendo a...

De onde surgiu o Sparol Tape e como funciona?

É uma terapia com fitas adesivas. A terapia começou a ser desenvolvida no Japão há 20 anos, é muito estudada e constantemente melhorada. Seu descobridor observou que o sentido de...

O que é Hidroterapia?

A hidroterapia é uma modalidade terapêutica utilizada há muitos anos para tratamento de acidente vascular encefálico (erroneamente chamado de derrame cerebral), fibromialgia, artrose, paralisia cerebral, pós-operatórios ortopédicos, doenças neuromusculares, etc....

Neurociência cognitiva e a nossa realidade

Uma das subdivisões do estudo da neurociência é a neurociência cognitiva que aborda os campos de pensamento, aprendizado e memória. O estudo do planejamento, do uso da linguagem e das...