Insuficiência Arterial Periférica

A insuficiência arterial periférica é o resultado da diminuição do fluxo sangüíneo arterial para os membros podendo manifestar-se através de síndromes isquêmicas agudas ou crônicas. A aterosclerose obliterante é de longe a principal causa de isquemia dos membros, sendo os inferiores os mais afetados. A aterosclerose começa precocemente na vida, mas se manifesta clinicamente como doença entre os 50 e 70 anos de idade, sendo incomum manifestar-se antes. Por ser uma doença sistêmica, a aterosclerose pode gerar distúrbios isquêmicos de outros territórios vasculares, com destaque para as doenças aterosclerótica coronariana e cérebro-vascular.

O comprometimento aterosclerótico dos membros inferiores acontece mais freqüentemente na artéria femoral superficial, seguida depois da artéria poplítea. A redução do fluxo sangüíneo arterial para as extremidades pode se ocorrer de forma aguda, quando em algumas horas pode haver necrose dos tecidos isquemiados; ou de forma crônica, sendo resultado do estreitamento lento e progressivo da luz das artérias. Nestes casos, a principal manifestação apresentada é a claudicação intermitente. Trata-se de dor do tipo cãibra ou fadiga dos músculos provocada pela deambulação e aliviada pelo exercício. A dor aumenta progressivamente de intensidade, impedindo assim o ato de caminhar. Ela ocorre pelo acúmulo, durante o exercício, de metabólitos irritantes na massa muscular isquêmica, tais como o ácido lático e bradicinina entre outros, já que a circulação torna-se lenta, pois as artérias apresentam obstrução em diferentes graus, o que determina a intensidade dos sintomas.

Quando o fluxo sangüíneo já não consegue atender sequer as necessidades metabólicas do músculo em repouso, o paciente começa a apresentar dor contínua, geralmente sentida nos dedos e nos pés. A dor isquêmica de repouso é um grave sintoma causado pela neurite e necrose tecidual que usualmente evolui para gangrena e amputação das extremidades. Em estágio avançado, além da dor, a cor dos pés apresenta-se cianótica e com rubor na posição pendente, há diminuição da temperatura da pele dos pés. A isquemia crônica comumente provoca perda dos pelos e espessamento das unhas. Como a circulação é insuficiente, os ferimentos costumam não cicatrizar, pois nesses casos, onde ocorre lesão dos tecidos, é necessário um maior aporte sangüíneo para que se processe a cicatrização. Pode ocorrer então necrose isquêmica, atingindo com maior freqüência as extremidades. Se houver infecção no local a gangrena torna-se úmida e estende-se até os tecidos circunvizinhos resultando então na amputação das extremidades.

Veja todos os artigos de

Outros artigos

O que é o Life Quality? (Personal Trainer)

O Life Quality consiste em um tratamento realizado por um Personal Trainer especializado em Qualidade de Vida, que visa alcançar o equilíbrio físico promovendo o Bem-Estar. A partir do diagnóstico...

A Manipulação de medicamentos

A prescrição e uso das fórmulas magistrais ( medicamentos manipulados ) estão sendo cada vez mais comuns. Isto se deve principalmente ao preço dos medicamentos manipulados que na maior parte...

A atuação da fisioterapia na Doença de Alzheimer

Um dos grandes mistérios da ciência que ainda causa muitas repercussões entre os cientistas é o envelhecimento do ser humano, este faz parte do ciclo natural da nossa existência, mas os seus...

Seu corpo, seu mundo

No caminho do ser humano, desde a condição fetal, ele adquire formas que mudam continuamente da concepção ao nascimento, passando pela formação da célula até a formação mamífera e humana....

Curiosidades do mundo

1) Cientistas de Glasgow estão desenvolvendo 3-D. Esta tecnologia permitira obter imagens tridimensionais detalhadas da dentição dos pacientes enquanto eles aguardam a consulta. Com esta tecnologia o profissional detectara sinais...

1º passo: exercício de desidentificação do ego

Instruções sugeridas: toda manhã e toda noite, durante 21 dias, você deve repetir essas afirmações três vezes em voz alta, até que penetrem totalmente na sua mente consciente e subconsciente....